Segurança

Mãe mata seus filhos e esconde corpos por 14 dias em Guarapuava

Mulher escondeu os corpos por 14 dias em apartamento; ela confessou à polícia que matou o filho, de 3 anos, asfixiado e a filha, de 10 anos, enforcada

Ouça a matéria

Uma mãe suspeita de matar os dois filhos, um menino de três anos e uma menina de 10 anos, foi presa em flagrante na tarde deste sábado (27),  em Guarapuava, no Centro-Sul do Paraná. A mulher entrou em contato com um advogado de Santa Catarina, onde morava anteriormente, e confessou o crime.

As mortes das crianças de 10 e 3 anos, teriam ocorrido a alguns dias e só agora descoberto. Os corpos estavam no apartamento onde a família residia na rua Benjamin Constant, área central.

A mãe Eliara Nardes, 31 anos, foi presa e teria confessado que teve um surto e matou o filho de 3 anos afixado com travesseiro e para a menina de 10 anos foi dado calmantes e depois a enforcou.

A mulher também relatou que tentou suicídio e que não conseguiu criar os filhos, já que o pai da mais velha é morto e do pequeno é ausente.

A delegada responsável pelo caso, Ana Hass, afirmou que o advogado avisou a escrivã da Delegacia de Guarapuava e os policiais foram até o local.

A mulher disse à Polícia Civil do Paraná que teve um surto e matou os dois filhos, um menino de três anos e uma menina de 10 anos. A suspeita foi detida por ocultação de cadáver e fraude processual.

No apartamento, localizado na rua Benjamin Constant, os corpos das crianças foram encontrados no quarto da mãe, em cima da cama, escondidos embaixo de uma coberta.

Conforme a delegada, a mulher contou que estava cansada de cuidar das crianças e que, durante um surto, matou o filho de três anos asfixiado com um travesseiro. A seguir, disse para a filha que a mataria e que cometeria suicídio na sequência.

A menina de 10 anos foi assassinada enforcada com um cachecol, segundo o relato da suspeita à polícia. A mulher continuou residindo no apartamento por duas semanas, junto com os cadáveres dos filhos deitados no quarto.

Após ser presa, a mulher foi levada ao IML (Instituto Médico Legal) para a realização de exames, incluindo teste toxicológico, já que disse à polícia que tinha tomado medicamentos para cometer suicídio.

Ela ainda deve prestar depoimento nos próximos dias. O pai da menina já é falecido e o pai do menino mora em Santa Catarina. Os corpos das crianças foram encaminhados ao IML de Guarapuava.

Silvana Baitala

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo