CidadaniaEconomiaLitoralTurismo e Viagem

Antonina e Morretes se unem para fortalecer o turismo local

Ouça a matéria

Duas das cidades mais históricas do Paraná estão prestes a elevar o patamar nos próximos anos. Com uma economia que se sustenta predominantemente do setor de serviços — turismo, comércio e hotelaria —, os municípios contam com incentivos para atrair mais turistas ao longo de todo ano, como os casos bem sucedidos de Gramado e Canela, no Rio Grande do Sul, e Olinda e Recife, em Pernambuco.

Em reuniões com a Paraná Turismo, braço estadual de promoção dos atrativos do Estado, a Agência de Desenvolvimento do Turismo Sustentável do Litoral do Paraná (Adetur), o Sebrae e as associações e empresários reunidos em torno da Grande Reserva Mata Atlântica, entidade societária de idealizadores desse bioma, as cidades buscam desenvolver uma programação turística fortalecida, com novos eventos, e consolidar os atrativos já existentes.

“Temos que pensar nas duas cidades em conjunto, o que ainda não acontece de maneira automática. Mas estamos tentando retomar essa parceria aos poucos. A Maria Fumaça e a Grande Reserva Mata Atlântica são tentativas de concretizar de vez essa união”, comenta Patricia de Assis, diretora executiva da Adetur. “Esse é o maior desafio desse ano, discutir roteiros integrados, trabalhar as duas cidades como indutoras do turismo de todo o Litoral do Paraná”.

Morretes – Ponte de ferro.
Morretes, 17-01-20.
Foto: Arnaldo Alves / AEN.

Em comum, Antonina e Morretes compartilham de tradições gastronômicas conservadas pelo tempo, como o barreado, as balas de banana e a cachaça da região. Algumas coisas, porém, são convites únicos de cada cidade, como por exemplo, o o trem da Serra do Mar (entre os três maiores atrativos do Estado ao lado das Cataratas de Foz do Iguaçu e da Ilha do Mel), em Morretes, os carnavais tradicionais e a flora intacta de Antonina.

Uma “networking caiçara” é uma das apostas para o fortalecimento da região. Realizada duas vezes por ano, o encontro busca apresentar novidades do mercado para empresários locais e desenvolver mais profissionalismo nas atividades comerciais com os turistas.

Morretes.
Morretes, 17-01-20.
Foto: Arnaldo Alves / AEN.

“Estamos criando essa harmonia. Para o Estado é fundamental que as duas cidades e seus comércios trabalhem em conjunto, se divulguem e ampliem a interlocução com o mercado. São cidades com produtos típicos, história e natureza, que podem fazer um contraponto a Gramado e Canela”, comenta João Jacob Mehl, diretor-presidente da Paraná Turismo. “Esse modelo de integração regional permite prolongar a estadia e o consumo dos turistas nos nossos estabelecimentos”.

Para os próximos anos, Morretes planeja ampliar seu calendário de eventos, incluindo novos atrativos em sua programação, para expandir o fluxo de turistas para todo o ano. Com o mesmo objetivo, as ações em Antonina procuram consolidar e atrair mais visitantes para seus eventos já tradicionais, além de um calendário especial para o inverno, renovando o movimento de viajantes que chegam à cidade.

Centro histórico de Antonina, litoral do Paraná.
Antonina, 18-01-20.
Foto: Arnaldo Alves / AEN.

(Redação de Victor Assis, com informações e entrevistas da Agência de Notícias do Paraná)

 

Redação Litorânea FM

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor. A Rádio Litorânea tem o compromisso de levar a informação através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo