Ação das Polícias Civis do Paraná e Rio Grande do Sul combate golpe do bilhete premiado

Carlos Moraes
Foto: PCPR

A Polícia Civil do Paraná (PCPR), em apoio à Polícia Civil do Rio Grande do Sul (PCRS), está nas ruas desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (29) para cumprir oito ordens judiciais contra um grupo ligado ao golpe do bilhete premiado. Estima-se que o prejuízo causado às vítimas seja de R$ 600 mil. As ordens judiciais a serem cumpridas em Curitiba são cinco mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária.

A ação faz parte da Operação Ilusio II, que também acontece nos estados de Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo. Além dos mandados cumpridos no Paraná, há outras 13 ordens judiciais.

No golpe do bilhete premiado, uma vítima é abordada em via pública. O estelionatário se passa por uma pessoa humilde e diz que possui um bilhete da loteria premiado. Em seguida, outros golpistas aparecem e simulam uma ligação para o gerente de um banco, que confirma que o suposto bilhete é verdadeiro. 

Depois, os golpistas convencem a vítima a transferir valores, entregar cartões e outros itens financeiros para o falso vencedor como garantia, acreditando que ficará com parte do prêmio. A prática criminosa acontece geralmente na proximidade de agências bancárias.

Durante as investigações, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul verificou que os indivíduos convertiam parte do valor que conseguiam com os golpes em moeda estrangeira e outra parte em criptomoeda.

FONTES: Polícia Civil
Compartilhe este Artigo